Crítica: Star Wars EP 5: O Império Contra-Ataca.

 Quinto filme da franquia inova, choca, e faz história ao surpreender seu público.

 

Após o sucesso do primeiro filme, era inevitável que George Lucas e Companhia fariam uma sequência de Star Wars, aqui foi onde a franquia ganhou sua primeira modificação considerada estranha, sendo uma continuação de Star Wars, a continuação recebeu o titulo de Star Wars EP: 5 o que deixou os fãs bem confusos já que faltavam 3 filmes para fechar essa matemática. Mas aqui, George lucas começou a expandir seu próprio universo na sua cabeça e isso só seria explicado anos depois!

O Filme nos trás os personagens no ponto onde os deixamos, Han, Luke E Leia, lutam contra o império mesmo após a destruição da primeira estrela da morte. A direção aqui é de Irvin Kershner e podemos afirmar que o diretor foi a escolha ideal para o filme, já que o mesmo inova a franquia de uma forma nunca vista antes.

Irvin consegue nos ambientar em no mundo fantasioso da franquia, e ao mesmo tempo, consegue nos jogar em uma realidade tão pessoal, que a mescla de ambos os elementos deixam o espectador maluco. Desde as cenas de guerra que remetem a grandes filmes dos anos 40/50 ao visual futurista e único da saga. Aqui, o diretor consegue nos maravilhar com cenas e criaturas fantásticas, e a sensação de encantamento funciona perfeitamente.

A trilha sonora de John Williams volta mais forte do que nunca, aqui somos apresentados ao clássico tema de Darth Vader, e toda vez que é tocada nos arrepiamos, e ao mesmo tempo, sentimos a presença do personagem que merece ser ressaltada. O trabalho em cima do vilão aqui é espetacular! Frio, calculista,  e ameaçador, Darth Vader prova por quê é o maior vilão da história do cinema. o Vilão que persegue os heróis incansavelmente, só para quando os tem em suas mãos, e isso da uma força única para o personagem, e o desenvolve de uma maneira espetacular.

As melhores cenas de ação da franquia também se encontram aqui, desde a guerra em Hott, ou a clássica e arrepiante luta entre Darth Vader e Luke Skywalker, o diretor consegue mesclar ação, e emoção em seus embates. Em muitos momentos, tememos pelos heróis, e aqui, não existem arcos ruins, nos interessamos pelo núcleo que envolve Han e Leia, ao mesmo tempo em que nos apaixonamos pelo núcleo que envolve Luke e Yoda, que merece ser Ressaltado. O boneco manipulado e dublado por Frank Oz , encanta, cativa e brinca com a imaginação do espectador. Frank que se inspirou em Jim Henson (Criador dos Muppets) para dar vida ao boneco, fez um trabalho excepcional, que até hoje, nenhuma computação gráfica conseguiu superar!

 O quinto filme consegue ser o melhor de toda a franquia, já que em momento nenhum falha, e mesmo assim expande sua mitologia, aqui a força é o elemento central, e todos os personagens a sentem, a Força é um personagem invisível, mas que não afeta apenas os personagens, e sim os espectadores.

 

Nota: 10

 

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s