Crítica: Star Wars EP 6: O Retorno De Jedi.

 Fim da trilogia de Luke Skywalker, fecha bem, mas não com perfeição

 

George Lucas, que vinha escrevendo os roteiros dos EP’S 1,2 e 3 estava exausto, e decidiu passar a direção de seu último filme para Richard Marquand. Richard, conhecido por filmes mais infantis, prometeu a Lucas, que fária um filme épico, que seguiria o padrão de O Império Contra-Ataca,  o diretor, cumpriu sua promessa, porém isso não durou muito tempo. Com um primeiro e segundo atos perfeitos , o diretor explora muito bem pontos chaves do roteiro, como o amadurecimento de Luke Skywalker, de Padawan para Jedi formado, Luke deixou de ser um garoto da fazenda e se torou um cavaleiro Jedi treinado, poderoso, e imponente, assim como Anakin no final do EP 3.

 

Richard também explora muito bem o relacionamento entre Darth Vader e Luke Skywalker, os personagens são o Ying e Yang perfeitos, os personagens se completam, enquanto Vader acredita que o lado sombrio é o caminho certo, seu coração clama pela luz. Enquanto Luke acredita que a luz é o caminho correto, seu coração fica tentado pela possibilidade de poder ilimitado oferecido pelo lado sombrio, o debate que instiga os personagens é interessante e totalmente bem criado.

 

Por outro lado, o diretor decide colocar elementos mais infantis aqui, como os polêmicos Ewok’s que não são péssimos personagens, mas ao mesmo tempo, incomodam e atrapalham a narrativa, muitas das vezes, o diretor foca seu tempo em tela, para explorar a fofura mortal dos personagens, e isso o faz perder um pouco o senso de realidade já estabelecido na franquia. Em certo momento por exemplo, temos Ewok’s. ursinhos de meio metro , derrotando soldados do império com pedras em seus capacetes, isso é o suficiente para entendermos que a a ganância em vender bonecos dos personagens dos filmes acabou sendo um pouco de mais já que a saga estava no seu Auge.

 

Ao mesmo tempo o filme é eficiente em fechar os arcos pessoais, e conjuntos de seus personagens , Luke e Leia chegam ao ápice de sua relação e seu fechamento é emocionante, e ao mesmo tempo surpreende o espectador com revelações únicas, enquanto ao mesmo tempo, a relação de Han e Leia chega a um final esperado, porém feito de uma forma bem menos clichê.

 

Um dos pontos a ser ressaltados aqui é como o diretor, conseguiu transparecer todo o sofrimento e conflito interno de Darth Vader com sua camera expressiva. Sentimos e vemos o conflito do personagem, que em todos os momentos está com uma mascara que não mostra suas expressões, porém Richard, tem um talento nato para isso e funcionou perfeitamente.  O futuro do personagem é chocante e emocionante.

 

 O Retorno de Jedi não é perfeito, mas encerra a trilogia dignamente, e mesmo sem planos, deixa o terreno pronto para sequências, na qual nunca foram a luz dos cinemas!

 Nota: 7.6

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s